Cecan

ENFERMAGEM

Nove enfermeiras especializadas em oncologia concedem apoio integral aos pacientes do CECAN

Anjos do Cecan

O sorriso, o cuidado e a atenção durante o tratamento contra o câncer são comuns a todos os profissionais do CECAN; mas uma equipe em especial é chamada pelos pacientes de “anjos”. São as enfermeiras especializadas em oncologia.

Elas podem ter vários papéis, mas, na maioria das vezes, são as profissionais que administram os medicamentos de suporte e cuidado, mantendo-se ao lado do paciente na rotina assistencial que, em alguns casos, pode levar horas. Elas estão qualificadas também para conceder informações sobre os possíveis efeitos colaterais do tratamento.

No CECAN, a equipe é constituída pela gestora da Unidade de Oncologia, enfermeira Andréia Dias Klefenz, pela coordenadora do Departamento de Enfermagem, Ana Lúcia Souza, pelas supervisoras Andressa Rocha Jeremias e Maria Eulália de Jesus Neta, pelas enfermeiras assistenciais Anita Domingos Petito Vieira e Eliane Eurene Fernandes da Silva, e pelas técnicas de enfermagem Bruna Aparecida dos Santos, Juliana Aparecida das Dores e Viviane Carneiro de Souza.

“Essa profissão é como um chamado. Um talento que se aprimora com estudo e especializações, mas que vem da necessidade de enxergar o outro de uma maneira diferente e de cuidar dele de forma integral”, disse Andréia.

Esse olhar diferenciado faz com que, no CECAN, todas as enfermeiras sejam especializadas em oncologia. O serviço concede, inclusive, incentivo para que as qualificações sejam constantes à equipe, que atua também participando ativamente dos grupos de apoio aos pacientes para encontros, palestras e orientações.

Andréia exerce a profissão há 20 anos e destaca a nobreza e a dedicação da profissão que escolheu. “O amor é a base de tudo e, na oncologia, ele é complementado pelo compromisso de levar esperança aos pacientes”, disse. Segundo ela, a proposta é que eles se tratem, recebam os cuidados necessários e alcancem a cura.

Ela revela que a equipe trabalha para lidar com as frustrações, as dificuldades e os medos decorrentes da doença, mostrando que a vida não se encerra com o diagnóstico de câncer. “O resultado positivo dá início à luta contra a doença e, neste contexto, concedemos apoio para o paciente possa viver da melhor maneira possível”, afirmou.