Cecan

Unidade de Radioterapia

Cerca de 60% dos pacientes portadores de câncer necessitam de radioterapia em alguma fase do tratamento. Por isso, o Cecan coloca à disposição de seus pacientes os mais modernos equipamentos para localização exata e tratamento sistêmico do tumor.

O aparato tecnológico trata desde tumores profundos (como os de pulmão e de próstata) a tumores superficiais (como os de pele). Isso porque a utilização de sistemas de planejamento computadorizado possibilita um tratamento mais seguro, com ação intensa e localizada da radiação na região doente, com menor comprometimento de órgãos sadios ao redor.

 

Radioterapia com IMRT

Altas doses de radiação no tumor e menos incidência nos tecidos normais

Pacientes com câncer que precisam de tratamento por radioterapia, em conjunto ou não com a quimioterapia e a hormonioterapia, encontram no CECAN equipe especializada e um dos mais modernos equipamentos de radiação do país, o Elekta Precise, com alcance de 360º.

Ele permite a utilização da radioterapia de intensidade modulada (IMRT) para administrar precisamente altas doses de radiação no tumor alvo e minimizar sua incidência nos tecidos normais adjacentes. Ao definir a dose tanto para o órgão alvo como para as estruturas que se pretende proteger, a técnica determina os níveis de tolerância de cada órgão, diminuindo a toxicidade do tratamento com a sensível redução dos efeitos colaterais.

Complexo e muito específico, o processo para aplicação da técnica IMRT é preciso e envolve um grande número de profissionais altamente qualificados, a exemplo do médico radioterapeuta, do físico médico, do dosimetrista, dos técnicos de radioterapia e dos enfermeiros. São eles os responsáveis pela verificação precisa da dose a ser administrada no paciente, por meio de programas de controle da garantia da qualidade para cada plano do tratamento.

Como a IMRT pode reduzir os danos aos tecidos normais, é bastante utilizada para tratar tumores localizados próximos a órgãos ou estruturas importantes, como os tumores de próstata, cabeça e pescoço, tumores ginecológicos, gastrointestinais e tumores do sistema nervoso central. Eficiente também no tratamento dos tumores pediátricos, devido à alta capacidade de redução da dose nos tecidos sadios.

 

Precisão no cálculo da radiação

Conforme o tipo e a localização do tumor, o médico oncologista faz a indicação da terapia por radiação para destruir as células tumorais. Cabe a ele definir a radiação necessária que o paciente deverá receber para que os feixes de radiação sejam letais para o tumor.

No CECAN, a dosagem diária da aplicação para atingir a totalidade de radiação prescrita pelos médicos é calculada pela física médica Susiane Moraes.

Ela utiliza imagem tradicional de raio-X para elaborar o mapa de aplicação da radioterapia e tomografia 3D para definir os pontos do tumor que receberão a radiação, procedimento chamado de conformação de campo.  A radiação é letal para as células cancerígenas, mas os tecidos saudáveis e principalmente os órgãos vitais ficam protegidos da radiação.

Para elaborar o mapa, um técnico dosimetrista auxilia a física médica no cálculo, que também é validado pelo software do sistema utilizado pelo CECAN. A equipe conta ainda com o técnico radiologista, que posiciona corretamente o paciente na mesa do radiador linear com auxílio de acessórios especiais e modernas máscaras de imobilização disponibilizados aos pacientes.

    

Toda a aplicação é automatizada, garantindo que a radiação incida exatamente na área calculada. O processo pode levar de 10 a 20 minutos, dependendo do paciente, do tipo de câncer e do período específico do tratamento. Na média, os casos de câncer de mama necessitam de 33 dias de aplicações. Já os de próstata, 36 dias.

O protocolo de tratamento com radioterapia exige que a cada cinco dias de aplicações, o paciente fique dois sem receber a radiação. “Esse período é necessário para recuperação do paciente e dos tecidos saudáveis que ficam no entorno das células tumorais, que por demorarem mais para se reproduzir, são eliminadas por esse tratamento”, explicou Susiane.

 

Paredes com 2,8 metros de largura na Radioterapia

Para oferecer o tratamento conformacional IMRT, o CECAN preparou um ambiente com paredes, piso e teto com espessuras de 2,8 metros de largura revestidos com chumbo e concreto usinado, para evitar que a radiação utilizada no processo se propague para outros ambientes.

A máquina, um acelerador linear, é uma fonte de radiação acionada apenas no momento da aplicação. “Ela gira ao redor do paciente, que fica imóvel em uma mesa de fibra de carbono, material leve, resistente e que não sofre influência da radiação e nem interfere na dose que está sendo aplicada na pessoa”, explica a física médica Susiane Moraes.

Com esse equipamento – que tem lâminas de até três milímetros que conseguem reproduzir mais de mil campos de radiação precisa –  é possível também fazer a chamada radioterapia cirúrgica, que elimina o tumor em uma única dose, mas que não pode ser utilizada em todos os casos. Geralmente ela é aplicada em tumores cerebrais na fase inicial, informou a física médica.

A Unidade de Radioterapia do CECAN também é humanizada e conta com acesso próprio e recepção exclusiva, garantindo mais conforto, rapidez e praticidade aos pacientes.